Educando as emoções para uma vida saudável

Nós, seres humanos, temos necessidades emocionais básicas, tais como ter segurança, estabilidade, cuidado, aceitação e vínculos seguros com outras pessoas, diversão e lazer. Entre essas necessidades, precisamos ainda de ter autonomia e sentido de identidade para a liberdade de expressar nossas emoções com autocontrole.

Podemos considerar que, uma pessoa psicologicamente saudável, será aquela que consegue equilibrar essas necessidades de forma adaptativa com as suas ações no dia a dia. E mesmo não tendo todas as necessidades satisfeitas, buscar realizá-las de forma tranquila. Essa busca passa pela compreensão de como o nosso temperamento se relaciona com o ambiente onde vivemos e as pessoas ao nosso lado.

Esta compreensão, bem como as estratégias de reconhecimento e gestão emocional, são objetivos da educação emocional. Ao ajudar as pessoas a se conhecerem para assim, planejar maneiras de satisfazerem suas necessidades emocionais fundamentais, a Educação Emocional torna-se importante ferramenta de qualidade de vida e da felicidade.

Por exemplo, existem três hábitos que podem acabar com a nossa felicidade e afastar a busca pela satisfação das nossas necessidades. São eles:

1. Procurar ser feliz com situações ou coisas externas: olhar a felicidade como algo fora de si, como uma compra ou obtenção de bens é algo equivocado. É muito fácil acreditarmos que uma promoção no trabalho, um aumento ou ter mais dinheiro vai nos fazer felizes. A felicidade baseada em conquistas materiais não dura muito tempo.

2. Se comparar com outras pessoas: aos nos comparar com os outros acabamos entrando em sentimentos como a inveja, tristeza e raiva. Isso porque sempre haverá alguém melhor, mais bonito, com mais prazer e realizações do que nós. Por exemplo, os atletas profissionais bem resolvidos sabem que suas conquistas e recordes serão quebrados um dia. Se ficar se comparando, com certeza perderá sua capacidade de ação.

3. Falta de gratidão: muitos estudos mostram que ter gratidão é um passo para à felicidade. Ser grato(a) nos ajuda a sentir emoções positivas, a saber reconhecer e aproveitar as boas experiências, melhorando nossa capacidade de lidar com as adversidades. Isso nos leva a construir relacionamentos fortes e duradouros.

A Educação Emocional promove qualidade de vida porque nos ensina a aproveitar o que temos, sejam os bens, os talentos ou relacionamentos. Ser educado emocionalmente nos ajuda a sair da lenga-lenga de focar “no que deveríamos ter, mas não temos”, para aumentar nossa capacidade de aproveitar o que já temos e assim, construímos uma vida mais saudável.

Para isso, mudar as crenças é o primeiro passo! Ao em vez de dizer “eu quero ser feliz”, diga “eu reconheço as coisas boas da minha vida e valorizo ​​o que tenho”. Parece fácil? Não é. Exige consciência, autoconhecimento e flexibilidade para sairmos do papel de vítima e entrarmos no papel de protagonista da nossa vida.

Quer saber mais?

Conheça o livro Educação Transcomportamental, Isa Magalhães, Ludis Editora, 2018. Ou entre em nosso site e leia sobre o Programa SILES – Sistema de Educação Socioemocional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *